Eu li em março


Li em março " A Hora da Estrela" um livro de Clarisse Lispector, há muito tempo conheço a história de Macabéa (inclusive tem um filme que não vi ainda) porque vi apresentação de um seminário a respeito do filme e os professores de literatura adoram citá-lo.
Inclusive pensei que fosse uma história mais elaborada e tal, mas é uma história super simples, tão comum e a versão que eu li tinha um prefácio tão aprofundado!
Sinceramente, muitas pessoas são tão ingênuas e vivem numa auto-realidade (será que esse termo existe ?) como Macabéa e um narrador que se torna um personagem sem identificação tal qual como nas farsas Vicentinas, é apenas um narrador com "vergonha alheia" (como podemos traduzir para a época atual) tem vergonha até de contar a história medíocre de Macabéa e nem ousa dizê-lo se conviveu com ela ou não! Hum... Eu poderia até dizer que esse narrador é representante de toda uma classe média que tem preconceitos com pobres (podem não admitir mas tem)!
Gostei muito de ter lido o livro: o final de Macabéa encerrou com chave de ouro uma vida não-vivida, uma vontade não realizada, um entusiasmo para recomeçar tragicamente interrompido por sua própria ignorância de sua realidade!

Um outro livro que Li foi "O Sofrimento Jovem Werther" tenho alguns clássicos em casa e esse é um deles...

Quem um dia tiver interesse em conhecer o movimento "Sturm e Drang" conhecido no Brasil como "Mal do Século" representado muito bem por Álvares de Azevedo o autor do poema "Se eu morresse amanhã"
Werther é um Jovem que entende muito bem todas as regras sociais e todas as nuances da sociedade; injustiça, desamores, preconceitos e por fim um amor que não pode ser correspondido!
Todas suas angústias são escritas em cartas no qual percebemos a sua não aceitação da realidade muito bem descrito aqui:
" é um jovem muito inteligente, afetivo, com grande interesse pela literatura, pelas coisas da natureza e pela vida social do lugarejo que o cerca, mas que não encontra um lugar no mundo que lhe assegura sua pureza de espírito. Em uma primeira de se desvencilhar desse amor impossível que cada vez mais enreda, Werther resolve deixar Lotte e ir trabalhar com um embaixador. Em seu novo emprego, ele passa a conviver com certa nobreza, pela qual não tem nenhuma simpatia, e, numa recepção acaba expulso do salão por causa das etiquetas sociais. Não será nesse meio que Werther encontrará seu lugar no mundo. E talvez em nenhum outro"( clássicos Abril coleções)
A idealização da mulher é algo muito evidente nesse livro; Charllotte aceita de forma omissa um casamento arranjado pelo seu pai e em outro momento percebemos que ela sabe que a arma que Werther pediu ao seu marido é para um possível suicídio mas nada faz, mantém-se calada! Mas para Werther ela é " O mais encantador espetáculo de toda minha vida".
Quer entender a segunda geração romântica no Brasil? É só ler "Os sofrimentos do Jovem Werther"

PS: Com netbook sendo recuperado pelo Reinaldo ainda, fico sem motivação para postar porque o do Reinaldo não aparece a foto na hora de publicar! Fica super chato visualizar foto por foto e depois decorar a identificação e postar :P

3 comentários:

Kinha postou o comentário número:

fAZ TEMPO QUE ESTOU COM "OS SOFRIMENTOS" EM CASA, MAS AINDA NÃO PEGUEI PRA LER.

Elaine Lobato postou o comentário número:

Kinha podes ler é muito bem escrito por Goethe!

bjs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...